Rua Onze . Blog

Agosto 10 2009

 

Entre as decorações de vidrado microcristalisno desenvolvidas pela fábrica Sarreguemines durante o final do século XIX, encontravam-se diversas variantes de azul e verde, duas das quais aqui ilustradas, que representavam um corte radical com os vidrados monocromáticos de tons conservadores, como o "Rose Pompadour" e o "Sang-deBoeuf".

 

Demonstrando um aperfeiçoamento do tratamento químico dos vidrados, este acabamento microcristalino e as miríades de tonalidades daí resultantes  traduzem-se numa iridisação das superfícies decorativas que também foi comum à vidraria artística da época, como se pode observar na famosa produção da fábrica europeia Loetz e nas peças Favrile desenvolvidas nos E.U.A. por Louis Comfort Tiffanny (1848-1933).

 

A iridisação verde de cobre patente na peça ilustrada revela-se ainda particularmente contemporânea, pois evoca o verde do absinto novo, bebida em voga entre intelectuais e artistas no final do século XIX, e posteriormente proibida em França, e as suas propriedades alucinogéneas.

 

 

© Rua Onze . Blog

publicado por blogdaruanove às 16:14

Julho 20 2009

 

Na viragem do século XIX para o século XX, a fábrica Sarreguemines produziu alguma cerâmica monocromática, quer com vidrado brilhante simples quer com vidrado brilhante nacarado.

 

Apresentando tons conservadores, como o clássico francês "Rose Pompadour" (acima) ou o clássico chinês "Sang de Boeuf" (abaixo), este com o pormenor do vidrado nacarado, a cerâmica era totalmente inovadora nas formas.

 

Na peça ilustrada acima nota-se um minimalismo que joga com uma forma tradicional, apenas alterada por três reentrâncias no bojo e três bicos repuxados no rebordo. Na peça de baixo preserva-se a forma tradicional de uma cabaça, a que se acrescenta a toda a volta uma modelação que evoca ora os folhos de um vestido sevilhano ora o rendilhado de certas algas.

 

 

© Rua Onze . Blog

publicado por blogdaruanove às 21:41

Maio 04 2009

 

Fundada em 1790 e encerrada em 2007, a fábrica de Sarreguemines, em França, construíu ao longo dos séculos XIX e XX uma sólida reputação na área da faiança e da majólica.

 

Durante os finais do século XIX e os princípios do século XX a cerâmica decorada com microcristais atingiu nesta fábrica grande perfeição e notável equilíbrio estético, suplantando a sua já consagrada produção em majólica. 

 

  

Estas características  encontram-se num reduzido número de fábricas francesas, de entre as quais se devem também salientar Denbac (cf. http://blogdaruaonze.blogs.sapo.pt/75345.html), Pierrefonds e Sèvres, esta última trabalhando com pasta de porcelana.

 

Poderá consultar alguns outros pormenores sobre Sarreguemines em: http://www.sarreguemines-museum.com/musees/Visite_OnLine/E1/1er_salleC.htm.

 

 

© Rua Onze . Blog

publicado por blogdaruanove às 21:58

Aki ó-matsu Hito ó-mayowasu Momiji-kana!...
mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28


Visitas
blogs SAPO