Rua Onze . Blog

Maio 07 2009

 

O seu horizonte elevava-se como uma parede de terra amarelada e granulosa, sulcada por  cicatrizes profundas e cheias de sombra.

 

Cicatrizes longas e ressequidas, guardando sinuosas memórias das chuvas, escaldantes e silenciosas, ao sol do meio-dia, misteriosas e inquietantes, ao cair da tarde.

 

Cansada deste horizonte, virou-se, desviando o olhar e enchendo os olhos de azul e de mar. 

 

Cerrando as pálpebras, serena, deixou então que a noite chegasse.

 

© Rua Onze . Blog

publicado por blogdaruanove às 19:38

Aki ó-matsu Hito ó-mayowasu Momiji-kana!...
mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28


posts recentes

Dunas

subscrever feeds
blogs SAPO