Rua Onze . Blog

Julho 09 2009

 

Riviera di Levante – Veduta generale di Portofino ed il promontorio

Bilhete postal circulado de Génova, Itália, para Apolda, Turíngia, Alemanha, em Abril de 1904.

Emissão de editor não identificado, reproduzindo uma imagem captada em 1898 por Fr. Reincke.

 

© Rua Onze . Blog

publicado por blogdaruanove às 18:19

Julho 09 2009

 

"Vou agora fazer-te dois pedidos, e se quiseres desempenhar-te d'elles, bom será: mas ficarão á tua unica responsabilidade, não á de tua mãe, que, coitada, pelas suas occupações caseiras, não terá facilidade de desempenhar-se délles a meu contento. Um, é comprares-me o livro de João de Deus do qual te envio o annuncio, e mandares-m'o para aqui pelo correio. Outro, mais complicado, é indagares no escriptorio do "Diario Popular" quando termina a assignatura que ahi mandei fazer por um anno; toma nota da data, e não digas mais nada aos homens; mas, quando fôr occasião, isto é no dia em que acabar a minha assignatura, toma uma assignatura em teu nome, por 6 mezes se fôr possivel, lê os jornaes se gostas, e manda-me todas as semanas um pacote d'elles pelo correio, com uma boa cinta de papel e amarrados depois, mas não registados."

 

Excerto de uma carta endereçada a seu sobrinho Joaquim Adriano de Moraes Costa (datas desconhecidas), enviada de Kobe e datada de 29 de Novembro de 1900.

 

© Rua Onze . Blog

publicado por blogdaruanove às 16:00

Julho 09 2009

 

694 – Jeune fille juive.

 

Bilhete postal do início do século XX.

 

Emissão de editor não identificado.

 

© Rua Onze . Blog

publicado por blogdaruanove às 14:15

Julho 09 2009

 

Soneto autógrafo de Mayer Garção (Francisco de Sande Salema Mayer Garção,1872-1930), sem data, dedicado a sua filha Maria Júlia, publicado na obra póstuma Cantos da Esperança e da Morte: Inéditos e Dispersos (1932).

 

   Para Maria Julia

 

   New York

 

   "Cidade monstruosa!" ella lhe chama,

   – e és bem injusta, filha, d'esta vez,

   porque essa forja, que um vulcão inflamma,

   não devorou a tua pequenez.

 

   Pelo contrario: com piedosa chamma,

   amou-te a graça timida, talvez,

   e respeitou, na avesinha que ama,

   o seu coraçãosinho portuguez.

 

   Exhausta, no alto mar, uma andorinha,

   se acaso passa um collossal vapor,

   n'um astro [sic] poisa, a descansar do vôo.

 

   O mastro ri-se; a onda ri, mansinha...

   – Se egual sorriso deste á minha flôr,

   Ó ceo de New York, eu te abençôo!

 

   De teu pae

 

© Rua Onze . Blog

publicado por blogdaruanove às 08:32

Julho 09 2009

 

   Sempre o inflexivel pescoço

   Entre muros de cartão,

   Mas volta-o, bispando um osso,

   E abóca co'a promptidão

   D'um famelico molosso!

 

Raimundo António de Bulhão Pato (1829-1912), A Dança Judenga (1901).

 

 

© Rua Onze . Blog

publicado por blogdaruanove às 01:00

Aki ó-matsu Hito ó-mayowasu Momiji-kana!...
mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9





subscrever feeds
blogs SAPO