Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rua Onze . Blog

Aki ó-matsu Hito ó-mayowasu Momiji-kana!...

Rua Onze . Blog

Aki ó-matsu Hito ó-mayowasu Momiji-kana!...

A Alma do Grande Sino (XV)

blogdaruanove, 29.05.09

 

E ainda hoje, entre cada poderoso toque, se ouve um gemido longo e baixo, que termina sempre no soluçado som de um lamento, como se uma mulher, chorando, murmurasse - "Hiai!" E ainda hoje as pessoas, quando ouvem aquele grande gemido dourado, mantêm o silêncio. Mas quando o claro e doce estremecer vem pelo ar, soluçando aquele "Hiai!", então, sem dúvida alguma, todas as mães Chinesas, em todos os coloridos caminhos de Pequim, murmuram aos seus pequeninos: "Oiçam! É Ko-Ngai gritando pelo seu sapato! É Ko-Ngai chamando pelo seu sapato!"

 

© Rua Onze . Blog

X Ano da Revolução Nacional

blogdaruanove, 28.05.09

 

Medalhas de prata (acima) e cobre cunhadas para  celebrar os dez anos da revolução de 28 de Maio de 1926. A saudação romana e a referência  a um calendário estabelecido em função da revolução denotam clara influência do modelo fascista estabelecido por Mussolini (Benito Amilcare Andrea Mussolini, 1883-1945) em Itália.

Medalha esculpida por M. Norte (datas desconhecidas) e gravada por Arnaldo Fragoso (datas desconhecidas).

 

 

© Rua Onze . Blog

A Alma do Grande Sino (XIV)

blogdaruanove, 28.05.09

 

Apesar de tudo isto, a ordem do Celestial e Augusto tinha de ser obedecida e o trabalho dos moldadores concluído, embora o resultado pudesse voltar a ser decepcionante. A incandescência do metal, contudo, parecia mais branca e pura que antes, não havendo sinal do belo corpo que ali tinha sido sepultado. Por isso, o pesado molde foi feito. E, reparem bem, quando o metal esfriou, descobriu-se que o sino era belo de se ver, perfeito na forma e maravilhoso na cor. Mais do que qualquer outro sino. Não se encontrou nenhum vestígio do corpo de Ko-Ngai porque este havia sido completamente absorvido pela preciosa liga, e misturado com o latão e o ouro, a prata e o ferro, em perfeita combinação. Quando fizeram soar o sino, descobriu-se que os seus tons eram mais profundos, e mais doces, e mais poderosos, que os toques de qualquer outro sino. Ultrapassava mesmo a distância de cem li, ressoando como uma trovoada de verão e como uma vasta voz que pronunciava um nome, um nome de mulher, o nome de Ko-Ngai!

 

© Rua Onze. Blog

A Alma do Grande Sino (XIII)

blogdaruanove, 27.05.09

 

Então o pai de Ko-Ngai, ensandecido pela dor, teria saltado atrás dela se uns robustos homens não o tivessem agarrado, mantendo-o bem seguro até ele desmaiar. E assim puderam levá-lo, como morto, para sua casa. A aia de Ko-Ngai, entontecida e emudecida pela dor, permaneceu diante da fornalha, guardando ainda nas mãos um sapato, um sapato minúsculo e delicado, com flores e pérolas bordadas. O sapato da sua bela senhora. Tentara segurar Ko-Ngai pelo pé, enquanto saltava, mas apenas conseguira agarrar o sapato. O bonito sapato ficara-lhe na mão e ela continuava a fitá-lo como alguém que tivesse enlouquecido.

 

© Rua Onze . Blog