Rua Onze . Blog

Março 02 2009

 

CALDEIRADA À RIO VOUGA

 

"São numerosas as receitas para preparar este prato que deve ser feito só com peixes de água doce. Damos uma das que consideramos mais perfeitas e que não precisa de elogios... Basta prová-la.

Lavam-se, pelam-se e escamam-se muito bem, enguias, barbos, lúcios, carpas e tencas que depois se cortam em filetes. Enquanto o peixe escorre sobre uma tábua, põe-se numa caçarola uma pitada de cominhos, cebolas pequenas, bem descascadas, uma folha de louro, cravinho e duas cabeças de alhos. Sobre estes condimentos colocam-se os filetes de peixe que se regam depois com vinho tinto de boa qualidade. Leva-se tudo ao lume e logo que levante fervura retira-se e acrescenta-se um copo de boa aguardente velha, e leva-se novamente para o lume, durante um quarto de hora.

Serve-se espalhando os filetes numa travessa larga, com fatias de pão torrado, regando-se tudo com molho de manteiga e salsa picada muito fina.

É de comer e chorar por mais..."

 

 

© Rua Onze . Blog

publicado por blogdaruanove às 22:34

Março 02 2009

Taça em cerâmica, com decoração a esmalte policromado e ouro, produzida na fábrica Longwy, França.

Década de 1920 ou 1930.

 

A designação Art Déco surgiu e consolidou-se ao longo da década de 1960, considerando os historiadores de arte ser a Exposition des Arts Décoratifs de Paris, em 1925, a exposição que consagra a viragem do estilo Arte Nova para o estilo Art Déco, cuja designação resulta precisamente da abreviatura Arts Décoratifs.

 

O estilo Art Déco veio consagrar uma estilização floral que abandonava muita da ostensivamente exagerada curvilinearidade do estilo Arte Nova, em favor de uma estilização que ora geometrizava as flores ora as tornava mais abstractas, tendendo a aumentar as suas dimensões relativas.

 

Como se pode observar nas peças cerâmicas aqui reproduzidas, o estilo não abandonava totalmente as influências orientalizantes, o que se torna mais evidente na peça de Charles Catteau, a qual, para além de evocar  o craquelé típico das antigas peças de cerâmica oriental, também visível na peça de Longwy, evoca ainda, inequivocamente, o glamour do amarelo imperial.

 

Cigarreira em prata, de punção portuguesa, com a seguinte inscrição no interior: "(...) / Oferta da / Ourivesaria da Guia / 1932".

 

O tratamento geometrizante da Arte Nova de Charles R. Mackintosh (1868-1938) e da Wiener Werkstätte veio a ser repensado e depurado através dos mestres e discípulos da Bauhaus, surgindo então peças decorativas que aliavam materiais inovadores, como a baquelite, o alumínio e o ferro cromado, a outros metais e minerais considerados nobres.

 

Pendente em platina, com esmeraldas e brilhantes, de punção portuguesa anterior a 1938.

 

O contributo português para este movimento passou essencialmente pelo modernismo da arquitectura, mas é também visível em várias peças de joalharia que, contudo não deixam de fazer concessão a influências de séculos anteriores.

 

Este aspecto é particularmente visível no lacinho do pendente aqui reproduzido, inserido numa figura que geometriza e evoca claramente uma flor de papiro. Pormenor que poderá remeter para toda a influência decorrente da descoberta do túmulo e das riquezas de Tuthankamon. (Veja-se ilustração de inspiração similar em: http://blogdaruaonze.blogs.sapo.pt/15108.html.)

 

Sublinhe-se, contudo, que, a nível internacional, o reconhecimento maior foi atingido pelos escultores Canto da Maia (1890-1981) e João da Silva (1880-1960; cf. http://blogdaruanove.blogs.sapo.pt/85920.html), os quais também viram muitas das suas criações transpostas para cerâmica, bem como pelo arquitecto e designer de interiores, de origem austríaca, Franz Torka (1888-1953), que emigrou para Portugal no final da década de 1920 e colaborou durante vários anos com a Casa Alcobia.

 

 

Jarra em cerâmica, com decoração a esmalte policromado desenhada por Charles Catteau (1880-1966), produzida na fábrica Boch Frères- Keramis, Bélgica. Cerca de 1923.

 

Para mais alguns apontamentos sobre Art Déco, poderá consultar: http://blogdaruanove.blogs.sapo.pt/15977.html e http://blogdaruanove.blogs.sapo.pt/15831.html.

 

© Rua Onze . Blog 


Março 02 2009

 

Braga.    Largo do Visconde da Torre

Bilhete postal circulado de Braga para Lisboa, em Janeiro de 1931.

Edição do Bazar Soares, Porto, com fotografia da Foto Marques, Braga.

 

© Rua Onze . Com

publicado por blogdaruanove às 19:00

Março 02 2009

 

Capa e contracapa, da autoria de Méco (datas desconhecidas), de uma brochura editada por ocasião do II Congresso Nacional de Pesca, realizado em Lisboa durante o mês de Junho de 1947.

 

Esta publicação, intitulada O Peixe é um Alimento Completo, inclui considerações sobre o valor alimentar do peixe, dados sobre a composição centesimal química de algumas espécies de peixes (gordos - boga do mar, carpa, cherne, eiró, enguia, sarda, sardinha; e magros - corvina, linguado, peixe galo, pescada, rodovalho), dados comparativos sobre a digestibilidade de carne, peixe e marisco (borracho assado, frango assado, presunto, vaca cozida, vitela assada; arenque salgado ou fumado, esturjão, ostra, pescada, salmão, truta) e diversas receitas, algumas das quais serão reproduzidas ao longo das próximas duas semanas.

 

 

© Rua Onze . Blog

publicado por blogdaruanove às 17:43

Março 02 2009

 

Paquete Mousinho, com a tonelagem bruta de 8.374, da Companhia Colonial de Navegação (C.C.N.).

Bilhete postal editado pela C.C.N. em 1951 e impresso na Tipografia Duarte, Lisboa.

 

© Rua Onze . Blog


Março 02 2009

 

Este festival de circo, promovido pelos empresários Rocha Brito e Juan Carcellé, destacava a Troupe Hermínio, o espectáculo A Selva Volátil de miss Ellen Salem, a Cavalaria do Circo Williams, apresentada por Fred Petoletti, os palhaços italianos Os Paolos, um espectáculo de trampolim elástico protagonizado pelo grupo Folcos, uma exibição equestre da Alta Escola de Viena com as amazonas Jeanette Williams, C. Williams e Marianne Althoff, uma troupe de elefantes do Circo Carola Williams com o domador Gebel Williams, os acrobatas egípcios Os Akeff e um espectáculo de Texas Indian Rodeo com Holdy Barlay.

 

O programa apresentava o seguinte alinhamento – 1 - INTRODUÇÃO (Orquestra Hispania); 2 - SINFONIA (Orquestra Hispania); 3 - DESFILE (Saudação pela Companhia); 4 - MISS SAIDA (Bailarina a cavalo); 5 - LESTER'S (Ginastas Lusitanos); 6 - DOMA MIXTA EXOTICA (pelo Prof. Petoletti); 7 - GUERRITA e a sua ZARABANDA com CHIQUILIN (o gigante do circo); 8 - TROUP [sic] HERMINIO (Singulares malabaristas internacionais); 9 - FAZTUDOS (entrada cómica); 10 - ALTA ESCOLA DE VIENA (Jennete [sic] WILLIAMS, G. WILLIAMS e Marianne ALTHOFF); 11 - LIÇÃO DE EQUITAÇÃO (com a colaboração dos espectadores); 12 - FAZTUDOS (entrada cómica); 13 - TROUPE PHOLCOS [sic] (no seu trampolim elástico); 14 - A GRANDE CAVALARIA DE CAROLA WILLIAMS (apresentada pelo famoso FRED PETOLETTI); 15 - OS AKEFF (Os prodigiosos egícios acrobatas icários do Circo Akeff de Alejandria [sic]); 16 - SINFONIA (Orquestra Hispania); 17 - HOLDY BARLAY (o sensacional e autêntico "Cow-boy" americano com o seu ORIGINAL INDIAN TEXAS RODEO); 18 - 6 PAOLOS (os desconcertantes "Clowns" italianos); 19 - MISS ELEN BEN SALAM ("Selva Volatil", Catatúas e pássaros diversos); 20 - OS DOBONS (com a sua "Nora Humana"); 21 - A GRANDE MANADA DE ELEFANTES DE GEBEL WILLIAMS.

 

© Rua Onze . Blog

publicado por blogdaruanove às 11:03

Março 02 2009

 

© Rua Onze . Blog

publicado por blogdaruanove às 00:14

Aki ó-matsu Hito ó-mayowasu Momiji-kana!...
mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9





subscrever feeds
blogs SAPO